quarta-feira, 15 de junho de 2016

Epa, o restaurante mais parece uma concentração de pedófilos!




Ontem fui almoçar fora com a minha família. Já não é a primeira vez que eu vou a este restaurante e acontece o que aconteceu ontem (contei o outro episódio aqui).
Eu estava na paz a comer o meu bitoquezinho e o homem da mesa da frente estava sempre a olhar para mim. Eu ainda estive tentada a levantar-me e espetar-lhe o garfo no olho mas eu sou uma senhora e controlei-me. Do nada a bengala do meu padrinho caiu ao chão e eu ia apanhá-la, mas o meu irmão antecipou-se e o homem riu-se. Não teve graça. Depois eu fui buscar um gelado para a sobremesa e ao sentar-me bati com a cabeça no balcão do mini-bar ao meu lado e o raio do homem voltou a rir-se. Não. Teve. Graça. É que isto só a mim, a sério.
Olhem, por exemplo, ainda agora, como eu estou sozinha em casa com o meu pai, porque a minha mãe foi trabalhar e os meus irmãos foram para a escola, o meu almoço foi uma tosta mista estorricada. O meu pai cozinha maravilhosamente, mas como foi tudo em cima da hora, o que saiu foi uma tosta mista mais queimada do que propriamente comestível.

*Eu acho que ainda vou mudar o título desta publicação para: As desgraças da vida maluca da Mellia*

3 comentários:

  1. Aprender até morrer.
    Fiquei a saber através deste post, que rir porque uma miúda bateu com a cabeça na parede, ou de um idoso ter deixado cair a bengala, eram atos de pedofilia. :/

    ResponderEliminar
  2. esses homens são TÃO assustadores! à pouco tempo, eu vinha no autocarro sozinha, em pé, e estava um velho sempre a olhar-me de alto a baixo. MEDO!!!

    r: mais do que já é, obviamente muahahah

    ResponderEliminar