quinta-feira, 28 de abril de 2016

Eu estou rodeada de gente maluca e muuuitoooo parva!




Esta semana já aconteceu de tudo! 
Por exemplo, ultimamente ando em choque constante com o Vincent (o raio do rapaz deixa-me com os cabelos em pé!) o que aparentemente agrada ao Dilan (também existe a possibilidade de ser só eu a inventar). É que já não é a primeira vez que eu e o Vincent discutimos na aula de Literatura, e como o Dilan agora está com o Vincent nas aulas de Literatura dá para eu me aperceber melhor de certas coisas. A primeira vez que discutimos foi porque o Vincent agora decidiu gozar com a minha maneira de falar, aparentemente falo à "sopinha de massa". Eu estava a ler e ele interrompe-me para gozar. Bem, não estão bem a ver, passei-me!
Na aula de ontem discutimos porque eu pedi o corretor ao Dilan, o Dilan diz para o Vincent me passar o corretor e ele simplesmente pousa-o no chão. Aíííí que nervos este rapaz! Mas calma, não é tudo, porque ao que parece eu tenho os defeitos todos do mundo. Lembrou-se ainda de gozar com os meus olhos por serem muito grandes, eu voltei a descontrolar-me! Só que desta vez também eu lhe apontei um defeito. Depois de o fazer reparo que o Dilan está a rir-se, como que satisfeito por me ver a defender-me/enfrentar do/o Vincent. É que o Vincent é mesmo 8 ou 80, tanto é um querido como um grande estúpido!
Bem, bem, esta conversa do Dilan tem outro propósito, porque esta semana não podia terminar sem que o meu pé ficasse a aula de História inteira atado à mesa e à cadeira do Finnick (eu acho que até já fiz uma referência dele aqui no blogue só que sem lhe atribuir um nome). Sim, leram bem. O Finnick é só um parvo, decidiu desapertar o meu atacador e amarra-lo à sua mesa e cadeira durante a aula praticamente toda. Imaginem o meu sofrimento. O curioso(?) foi que o Dilan estava constantemente a obrigá-lo a tirar aquilo (o que ele acabou por fazer bem mais tarde, sem a influência do Dilan). 
Foi bom sentir-me protegida por ele. Faz com que as coisas até se aproximem um pouco daquilo que eram... Ao mesmo tempo que penso nisto, outro pensamento se apodera de mim: o de que eu tenho de esquecer o Dilan. Caramba tem sido realmente difícil. É que apesar de as coisas estarem diferentes eu continuo a ser uma pessoa a quem ele recorre com frequência, ou seja, eu tentar manter a distância dele é difícil quando ele se precisa de alguma coisa me pede ajuda.
Isto tudo é uma treta tão grande é que eu sei, tenho a plena consciência de que o melhor para mim é afastar-me dele, mas depois quando o vejo, quando ele sorri para mim, quando ele fala para mim, as coisas complicam-se todas e lá sou eu obrigada a falar com ele e a babar-me toda.
Acho que não há mesmo outra maneira de terminar esta publicação a não ser como terminei a anterior: "Progressos: zero".


P.S. Eu sei bem que também não é em dois ou três dias que uma pessoa se desliga de outra, mas é que embora a força de vontade até seja muita no final de contas os avanços são nenhuns. É que cada vez se torna mais difícil afastar-me do Dilan...

terça-feira, 26 de abril de 2016

Se isto não é azar, maldição ou coisa do género não estou bem a ver o que mais possa ser...



Alguém me amaldiçoou, tenho a certeza! Eu bem desconfiei que aquele montinho de açucar ou de sal que estava no meio da rua no outro dia (e que eu nem sei bem se pisei ou não) não estava lá ao acaso...
Enquanto estava na fila da cantina levei com uma bola na perna, nada de especial, eu sei, mas percebem que estava imeeensa gente na fila e foi logo em mim que a bola acertou? Durante o almoço lembrei-me de que tinha de comprar folhas de teste e com quem é que eu dou de caras? Exato, com o Dilan e o seu grupinho no qual por acaso se insere um rapaz que já me fez muito mal. Quando volto ao refeitório para almoçar sento-me, arranjo o cabelo e zásss levo com o tabuleiro de uma rapariga na cabeça (nos meus cinco anos nesta escola nunca levei com um tabuleiro na cabeça, mas claro, hoje tinha de ser!). Enquanto esperavamos que a professora de Literatura chegasse hoje à tarde eu sentei-me como sempre numa janela, o Vincent chega, dá-me um pontapé nos meu pés e eu caio no chão (acham isto normal, acham?), a parte mais curiosa(?) desta situação foi que o Dilan me veio ajudar a levantar (só fofo ou muito fofo? arrrgggg!)
Por falar em Dilan, hoje mal lhe falei durante a manhã, mas depois à tarde... Estraguei tudo... Eu sei que não tenho de deixar de falar com ele para o esquecer, mas estar sempre a comunicar com ele dificulta e muito essa tarefa. O problema é que já é suficientemente difícil não falar com ele quando mais esquecê-lo... Progressos: zero...

sexta-feira, 22 de abril de 2016

Lamento informar que mesmo depois desta longa ausência o meu blogue vai continuar a falar sobre a minha vida miserável...




O blogue esteve fechado(?)/encerrado(?) durante esta semana, porque tive um problema com a internet, mas pronto, já estou de volta.
Aquilo a que me tinha comprometido na última publicação está a ser ainda mais difícil de cumprir do que eu imaginava...
Logo na segunda-feira quebrei a promessa que tinha feito comigo mesma de que me iria afastar do Dilan. Fui com ele até ao portão que dá para a saída da escola no final das aulas. Sim, podem revirar os olhos e pensar "miúda, por favor, isso é insignificante", sim, até pode ser, mas depois de coisas como ir com ele até ao portão, voltam os sorrisinhos, as trocas de olhares, coisas que eu quero evitar porque só me dão esperanças de algo que não vai acontecer. Porque não, o Dilan não gosta de mim, porque não, o Dilan nunca deve ter sequer gostado de mim e porque obviamente, o Dilan nunca irá gostar de mim. Por isso fica aqui uma mensagem para ti: PÁRA DE FAZER COM QUE EU FAÇA FIGURA DE OTÁRIA! PÁRA DE ME DAR ESPERANÇAS, DE ME FAZERES ACREDITAR QUE GOSTAS DE MIM QUANDO É TUDO MENTIRA! RAIOS, PORQUE FAZES ISSO? PORQUE ME ILUDES? NÃO PERCEBES QUE ISSO ME MAGOA? MAGOA-ME QUE ME FAÇAS SENTIR ESPECIAL DURANTE UNS BREVES CINCO MINUTOS E DEPOIS VÁS FAZER OUTRA SENTIR-SE ESPECIAL! ESTOU TÃO, TÃO CANSADA DE TUDO ISTO! 
É que é assim, eu vou explicar como é que as coisas são: a Mellia está durante a belissíma tarde de sexta-feira a observar o Dilan a jogar ping-pong (estúpida, estúpida, estúpida!). O Dilan ri-se para a Mellia e queixa-se de como é possível concentrar-se comigo sempre a observá-lo. Vamos só reforçar o facto de não ser só a Mellia a observar o Dilan mas também o Dilan a observar a Mellia. Pronto, no meio de todo este ambiente o Dilan, desloca-se do sítio onde estava e vai ter com a Chloé e com outros nossos dois colegas. A Mellia deitava fumo pelas orelhas (aaaaahhhh-aaaahhhhh irónico não? Dilan fuma-Mellia odiar que ele fume)!
Agora expliquem-me, alguém que esteve a namoriscar(?) comigo vai do nada sentar-se a namoriscar(??????) outra rapariga como se nada fosse? POR FAVOR MUNDO, METE UM BOCADINHO DE MASSA CINZENTA NESTA CABEÇA PARA VER SE EU PERCEBO ALGUMA COISA DO QUE SE PASSA NA MINHA VIDA E NA CABEÇA DAQUELE DESGRAÇADO!

sábado, 16 de abril de 2016

E pela primeira vez uma publicação do Dilan está inserida na categoria "Amor"...




Desde o início soube que era má ideia aproximar-me do Dilan. Sempre soube que apaixonar-me por ele era um erro mas nunca fiz nada para o evitar. Deixei-me ir, guiada por ilusões e esperanças tolas que no fundo me levaram a absolutamente nada.
Esta semana deu para perceber muita coisa, principalmente no teu olhar... Os teus olhos já não brilham quando olhas para mim... O teu olhar tornou-se duro, cheio de dor, repleto de indiferença, como se eu tivesse feito algo de errado...
Gostava de perceber o porquê do nosso afastamento, gostava de perceber se fui mesmo eu que fiz algo de errado, gostava de perceber tudo de uma vez, mas nem sei se vale a pena...
Tomei uma decisão, uma decisão importante, uma decisão definitiva! Tenho de deixar-te para trás de uma vez...
Não andas a fazer-me bem e estou cansada de lutar por um rapaz que eu quero desesperadamente que exista, mas que na realidade não existe.
As lágrimas caem sobre o meu rosto enquanto escrevo isto, mas eu sei que é melhor assim, é melhor para mim.
Gostava de conseguir exprimir melhor os meus sentimentos de forma a que soubesses o quanto gosto de ti e o quanto és importante para mim, mas não deste valor enquanto era tempo e a cada segundo que passa torna-se tarde de mais...
Não digo que se para a semana voltares a falar para mim como antes eu te vá ignorar completamente, não, provavelmente vou só cair no mesmo erro e dar-te a atenção que sei que não mereces, mas que não consigo evitar dar-te... Vai ser um processo longo e complicado, vai exigir muito de mim, mas é algo que eu quero e preciso acima de tudo!

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Eu tenho é pena dele por me ter aturado a viagem inteira!




Hoje à tarde, como em todas as tardes, apanhei o autocarro, no entanto o meu companheiro de banco não foi e por isso o meu companheiro foi outro: o Leo.
O Leo entrou no autocarro depois de mim, e acabou por sentar-se comigo. Eu estava com a cara de enterro que se apoderou de mim esta semana e ele perguntou-me o que se passava. Pois bem, dei por mim a contar-lhe tudo. 
Primeiro disse que se devia a desilusões desta vida, daí até falar do Dilan foi um passinho minúsculo. Não falei no nome dele, mas disse tudo o que sentia. Falei-lhe da confusão que vai nesta cabeça, do facto de o Dilan ser uma pessoa super instável, do facto de ele conseguir ser a pessoa mais querida do mundo nuns momentos e um grande parvalhão noutros, do facto de eu desejar tanto que ele não estivesse sempre a iludir-me tratando-me de uma maneira em certos dias e ignorando-me completamente noutros... Mesmo depois de ouvir todas as minhas queixas o que ele me disse foi: deves lutar.
Fiquei em choque. Não estava nada à espera que ele, logo ele, me fosse dizer aquilo. O Leo assertivo estava a dizer-me para lutar enquanto o resto do mundo me dizia o contrário. Se eu estava confusa então agora nem se fala...
Eu estou completamente dividida. Parte de mim quer continuar a lutar e a outra parte seguir em frente. O que eu me tenho perguntado é: lutar pelo quê? Por uma relação que nós não temos? Por um rapaz que só me dá atenção quando se lembra? Por um rapaz que ultimamente só me tem feito mal? 
As coisas estão tão diferentes agora... As trocas de olhares são cada vez mais raras e inexplicáveis, os sorrisos começam a ser substituídos por uma enorme desilusão e os "Amo-te" esses, nunca deviam ter saído da boca dele quando não eram sinceros e apenas serviam para me confundir... O pior é que já não reconheço bem o Dilan, como é que alguém consegue mudar tanto a sua atitude em duas semanas de férias que tivemos? Caramba, onde está o Dilan que na última semana de aulas me convidou para almoçar com ele, onde está o Dilan que na última semana de aulas me chamou para junto dele, me deu um beijo e me segredou um dos últimos, senão mesmo o último "Amo-te" ao ouvido? Onde está o Dilan que na última semana de aulas deixou um amigo a falar sozinho porque garantia que eu era mais importante? 
Onde estás e porque não voltas?

segunda-feira, 11 de abril de 2016

...





Estes dias tem sido no mínimo, desinteressantes.
Pouco acontece. Nada me surpreende. Nada me põe um sorriso na cara. Anda tudo super deprimente.
Em relação à visita de estudo, acabei por não ficar assim com tanta pena de não ter ido, pelo relato que a minha irmã fez, embora tenha sido giro não foi nada de extraordinário.
Andei o fim de semana todo cheia de dores nas costas, inclusive hoje, ainda para mais à cerca de uma hora caí de costas de uma cadeira e tenho uma esfoladela enorme um pouco abaixo do pescoço.
Resumindo: não estou com grandes expectativas para esta semana, quanto mais depressa acabar, melhor!

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Sim, sim, até que estou arrependida de não ter ido...




Neste momento eu poderia estar no Porto, em visita de estudo, no entanto decidi ficar em casa.
Os meus irmãos, a Alicia e o Robin, foram e aqui a parvinha não.
Toda a turma me incentivou a ir, o que me deixou muito feliz, mas mesmo assim não fui. Porquê? Nem sei bem. Por um lado o facto da Mérida não ir, influenciou um bocado, porque eu teria de andar sempre sozinha, inclusive ficar 4h30 no shopping sozinha. Claro que eu tenho outras colegas, mas como não me dou tão bem com elas obviamente ia sentir-me de parte. A Freyla e a Alicia como são de uma turma diferente não iriam ao centro comercial à mesma hora que eu (aquela coisa de só termos algumas disciplinas juntas). Por outro lado, o facto de a visita de estudo ser passada praticamente toda no shopping, o que não me desagradava de todo, também influenciou, porque a verdade é que eu não preciso de ir a uma visita de estudo para ir ao centro comercial. E ainda o facto do Dilan e o Vincent irem para lá fazer porcaria, me influenciou, já chega eu aturar a porcaria que eles fazem na escola.
Bem, é isto, vou passar o dia todo em casa enquanto o resto da malta está a divertir-se no Porto. A Freyla mandou-me uma mensagem à pouco a dizer "Tá top!", e entretanto ligou-me a dizer que estava a ser bem giro. Fico feliz por eles estarem a gostar e um bocadinho arrependida de não ter ido, até porque é mesmo a primeira vez que não vou a uma visita de estudo, mas pronto, agora também não posso fazer nada...
Depois de ter almoçado a pizza que eu própria fiz, (sim, fui eu que fiz; sim, eu sei que também não é nada muito complicado de confecionar; e sim, comi a pizza inteira) agora vou passar a tarde a estudar GeografiaA, até porque tenho um 18 para segurar!

Esta parte da publicação está a ser escrita 1h07 minutos depois da publicação ter sido publicada, porque me esqueci de dizer duas coisas super importantes: ultimamente só faço figuras. Ontem um professor chamou-me ao quadro e eu pus-me logo a resmungar, porque eu sou assim mesmo. Só resmungo. Depois de me pôr pra lá a implicar, deixei cair o apagador e toda a turma se riu, típicas parvoíces da Mellia. E ontem ainda levei com uma raquete de badminton na cabeça. Ultimamente também ando a ser muito agredida. 
O mais importante de tudo o que me esqueci de escrever e estou agora a acrescentar a esta publicação é o facto de, esta história de não ir à visita de estudo já ter dado barraca. Então não é que me queriam obrigar, a mim e à Mérida a pagar o autocarro mesmo sem irmos? Contabilizaram o dinheiro necessário para o autocarro a contar connosco, só depois é que entregaram as autorizações e ainda se sentiram ofendidos por nós não termos avisado com antecedência. Olha só, organizam tudo mal e ainda acham que tem razão, realmente...

quarta-feira, 6 de abril de 2016

O drama habitual desta minha vida...




Desde início da semana que estou para fazer uma publicação, mas não tenho tido tempo nenhum. Na segunda estive a acabar um trabalho e ontem estive até às tantas a ajudar o Dilan a fazer o seu trabalho... Mas já lá vamos, até porque estes dias tem sido autênticas aberrações!
Na segunda, primeiro dia de aulas do último período foi tudo muito normal. A destacar: levei com uma borracha e com uma lata na cabeça. Sem dúvida alguma, começamos bem...
Ontem, segundo dia de aulas do último período apresentei o tal trabalho. Embora o tema do trabalho fosse a mudança, tive a sensação que se comentou mais os meus sentimentos pelo Vincent do que outra coisa. É que agora, toda a turma pensa que eu gosto dele e por isso ando a ser massacrada... Tirando isto, tive imensas trocas de olhares com o Dilan, o problema destas trocas de olhares é que eu nunca sei o que significam!
Depois da aula, vim até à paragem de autocarros com o Dilan e tivemos a seguinte conversa:

Eu- És uma desilusão tu!
Dilan- Porquê?
Eu- Porque já não me fazes corações...
Dilan- *sorri* Nunca mais te vi do autocarro...
(é que o fofuxo do Dilan, sempre que me via do autocarro dele fazia-me um coração, ohhhhh)
Eu- Eu também estava só a brincar...
Dilan- Estavas?
Eu- Ok, talvez não estivesse, mas a tua namorada também não ia gostar nada destas coisas...
(sim, sim, lá foi a Mellia dar numa de coração mole... para depois perguntar pela namorada, eu sou de mais!)
Dilan- *sorriu* Ela não sabe...
(não consigo explicar muito bem, mas ele pareceu-me surpreendido quando percebeu que eu sabia que ele tinha namorada, o que é normal visto que é só secretismo em volta da relação deles, mas o sorriso dele leva-me a pensar que de alguma maneira esta boca o afetou, porque o sorriso dele não foi um sorriso típico de uma gargalhada ou assim, sorriu ao de leve como quem fica algo surpreendido mas ao mesmo tempo admite que foi uma boa boca.)

Sim, podem dizer, eu sou tramada!
Quando cheguei a casa, só tive tempo de lanchar porque fui direta para o dentista, porque tinha três, vejam bem, TRÊS peças descoladas! Este aparelho anda a dar-me cá umas dores de cabeça!
Ao chegar a casa depois do dentista tinha a Alicia mega entusiasmada a dizer que o Dilan queria falar comigo. Como eu não tenho Facebook comunicámos com o Facebook da minha irmã. O que é que ele queria perguntam vocês? Ajuda com o trabalho. Eu lá fiz o esforço de ficar acordada até às 23h30 para ajudar o menino e no final de contas ele apenas não utilizou a informação que eu lhe cedi... Mas calma, não é tudo, do que é que eu me apercebi? Que a Chloé também o estava a ajudar. Furiosa disse-lhe: "Qualquer coisa pergunta à Chloé visto que também lhe enviaste o trabalho", realmente ele deve achar que eu sou muito otária. Primeiro faço-lhe o trabalho e ele não aproveita nada do que lhe enviei e depois ainda diz que quer que eu lhe veja o trabalho, porque está super aflito e eu vejo que ele também o enviou para a Chloé? Ela que o ajude, olha!

Fiquei tão enervada com isto que hoje não lhe falei. Ele bem que olhava para mim, mas eu não lhe devolvia o olhar. Estou mesmo cansada de fazer figura de parva, caramba!
O que mais me irritou hoje foi a atitude dele na aula de Inglês. Primeiro a professora disse para ele mudar de lugar e ele não o fez, segundo desligou o projetor, terceiro apagou o nome dele e o do Alison que estavam no quadro por mal comportamento, quarto pôs-se a cortar o cabelo do colega com está na mesa com uma tesoura e quinto, arrebentou uma faixa que estava à entrada da escola.

Por vezes pergunto-me: Quem é o Dilan?