quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

O meu "adeus" a 2015...




Termina hoje o ano de 2015. É um ano que me vai deixar muitas boas recordações.
Este ano foi um pouco agri-doce. Por um lado, nunca me senti tão excluída da minha família, não foi sempre mas foram vezes a mais. Por outro lado, nunca me senti tão rodeada de boas pessoas, de bons amigos, como este ano, tenho tanta sorte em ter pessoas tão incríveis na minha vida.
Foi um ano de mudanças, de conquistas, de perdas, de sorrisos e de lágrimas. Mas agora, ao olhar para trás, só consigo fazer uma avaliação positiva deste ano, apesar de tudo, foi um ano bastante bom!
Espero que 2016 se não for melhor pelo menos que seja tão bom como 2015.

Queridos seguidores, espero que tenham uma passagem de ano incrível e que 2016 venha concretizar todos os vossos desejos! 

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Vamos lá falar da Passagem de Ano...




Todos os anos, o último dia do ano é passado com a minha família em casa. Quando eu digo família refiro-me apenas à minha mãe, ao meu pai e aos meus irmãos. É uma noite simples em que ficamos acordados até à meia-noite a comer e a conversar.
A maior parte dos meus colegas este ano vai passar a Passagem de Ano fora de casa com os amigos. Todos eles, à exceção de apenas dois, tem a minha idade, ou seja, 15 anos. E sim, já saem à noite, já bebem, já fumam... 
Sinceramente, acho incrível como é que os pais deles permitem este tipo de coisas. Não é inveja pela liberdade que eles tem, de todo. Por mim eles podem sair à noite sempre que quiserem, só que enerva-me que muitos deles já tenham planeado embebedarem-se e coisas bem piores, claro que os pais nem sonham sequer que isto vai acontecer. A sério, qual é a necessidade? Qual é o problema de passar este dia com os pais, afinal? Pronto, querem passar o dia com os amigos numa festa de final de ano, tudo bem, e passar a noite a dançar em vez de ir para um beco qualquer apanhar uma bebedeira tão grande que acabam por dormir ali no chão.
Uma dessas pessoas é o Dilan. Claro que ainda me afeta mais! Ele é mesmo irritante. Tem noção de que faz mal a si mesmo, no entanto, não deixa de fazer estas porcarias.
Só espero que ele não faça nenhuma estupidez, já que tem 16 anos, pelo menos, que tenha algum juízo...

domingo, 27 de dezembro de 2015

Metas para 2016




Após o Natal, vem a Passagem de Ano. 2016 é o ano que aí vem e eu tenho algumas metas que pretendo cumprir. Vou seguir-me pela publicação idêntica que a Chloe fez no seu blogue.
Aqui estão elas:

Aprendizagem:
- aprender a surfar;
- aprender a cantar melhor;
- aprender a cozinhar;
- aprender a dançar.

Escola:
- melhorar a inglês;
- melhorar a literatura;
- no geral, subir todas as notas;
- aplicar-me um pouco mais.

Divertimento:
- tirar mais fotografias;
- socializar mais;
- aderir às redes sociais.

Pessoal:
- deixar de estalar os dedos;
- deixar de roer as unhas;
- dedicar mais tempo a mim mesma;
- continuar a fazer exercício físico;
trabalhar ainda mais a minha barriga lisa.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Véspera de Natal.




São exatamente 12h17. Na cozinha a minha mãe está a preparar os doces de Natal. Eu e a minha irmã estamos a ver televisão na sala.
A manhã já passou, e pouco aconteceu. Normalmente o ponto alto do Natal, cá em casa, é o jantar da véspera de Natal, e este ano não vai ser diferente. Por isso, esta noite, toda a família vai estar à mesa, os meus pais, os meus padrinhos (avós maternos), o meu tio, os meus irmãos e eu. A mesa cheia de doces, chocolates, bacalhau... Mas acima de tudo muito amor e união!
Espero que vocês, queridos seguidores, tenham uma véspera de Natal excelente! Espero que todos vocês recebam muitas prendinhas, comam muito e aproveitem bem o tempo em família.

Feliz Natal!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Fico de cabelos em pé!!




Juro que se há coisa que me irrita é o facto das outras pessoas não respeitarem as opiniões e gostos dos outros. A minha mãe é exatamente assim.
Hoje fomos fazer as últimas compras de Natal. O espírito natalício já não é o que era e por isso as prendas já não são surpresa e muito menos são colocadas por baixo do pinheiro. Perdeu-se todo esse encanto, o que eu acho uma pena, mas a minha mãe pensa que tanto eu como os meus irmãos já não temos idade para essas coisas. Voltando ao assunto principal, estavamos a fazer as compras e não me agradava nada. Eu admito, sou muito esquisita, levo sempre uma ideia na cabeça daquilo que quero e por isso foco-me em procurar aquilo de que gosto. Nem sempre há aquilo que eu procuro por isso eu opto por simplesmente não trazer nada. Por outro lado, tudo é muito mais fácil com a minha irmã. Ela não é tão exigente e por isso é mais fácil comprar algo para ela.
Até aqui tudo bem. Mas quando a minha mãe se põe a dizer que eu sou uma chata, que nada me agrada, que o que eu quero não deve sequer existir, juro que me passo! Ter de ouvir boquinhas do género "Haja paciência", "Não há quem a ature" é horrível.
Todos temos gostos diferentes. Eu não tenho de ser repriendida só porque não gosto do mesmo tipo de roupa da minha irmã ou da minha mãe. Quer dizer, sou pior filha só por não gostar de determinada peça de roupa? É a minha mãe! Tem de aceitar os meus gostos, tem de me aceitar como sou e não criticar!
Quem fala de roupa, fala de outra coisa qualquer! Por exemplo,  quando eu discordo de algo que ela diz, zanga-se, como se eu não tivesse direito a ter uma opinião diferente e uma visão das coisas diferente.
Isto é mesmo daquelas coisas que me irrita de verdade! 

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

A falta de inspiração reina por estes lados...




A minha inspiração anda muito fraquinha, daí esta publicação não se tratar do desenrolar de nenhum episósio da minha vida, mas sim de um pedido.
Então é assim: visto que eu tenho de ler um livro para, no ínicio das aulas, apresentar à turma, queria aproveitar para lê-lo durante as férias. Como não tenho ideia de que livro escolher, agradecia que vocês contribuissem com sugestões nos comentários.
Pode ser? Obrigada.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Finalmenteee!




Férias! Sim! Boa! Excelente! Perfeito!
Estava mesmo a precisar das férias. Preciso de uma pausa de certas pessoas, de um tempo para refletir sobre imensas coisas e de um bocadinho de paz. 

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

sábado, 12 de dezembro de 2015

(É que eu nem sou de dizer asneiras!) A merda toda é que eu gosto dele!




O Dilan é deprimente. Ele e os seus vícios são deprimentes.
Isso, continua a fazer figuras tristes, visto que é o que fazes melhor. 
A sério, não ligues a quem te quer bem, de que vale dar atenção a lições de moral, queres lá saber.
Quem vai deixar de querer saber de ti vou ser eu, já esteve mais longe de acontecer, acredita! 

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

12h do meu dia são passadas a sentir-me tal e qual uma aberração e as outras 12h só não o são porque estou a dormir...




Claro que isto tem a ver com o Dilan. Tinha de ter a ver com o Dilan.
Fiz uma pequena e insignificante referência aqui, à Freyla, uma das minhas melhores amigas. Pois bem, o Dilan começou a reparar nela e agora está sempre agarrado a ela.
Isso nem me incomoda muito. Ok, incomoda, sobretudo porque a única razão pela qual o Dilan se interessa por ela é porque ela tem um rabo enorme e ele ultimamente está sempre a babar-se para cima dela.
Eu fico a sentir-me precisamente uma aberração, porque na nossa idade não interessa se és simpática ou nem por isso. O que interessa é se tens um rabo e umas mamas grandes.
No ínicio senti-me especial para o Dilan. Senti-me importante porque ele me dava valor e gostava de mim tal como eu era. Devia ter percebido logo que só me estava a iludir...
Não sou suficiente para ele.
O que mais me irrita é que provavelmente ninguém gosta mais do Dilan do que eu. As outras pessoas gostam do exterior dele, porque ele é lindo e essa é a única coisa que importa. Mas eu não, eu, apesar de todos os defeitos, apesar de toda a porcaria que o Dilan faz, eu faço um esforço para gostar do Dilan, faço um esforço para não deixar de lutar pela boa pessoa que ele é.
Mas pronto, falta-me o mais importante, uma aparência e um corpo decente...

domingo, 6 de dezembro de 2015

Obrigada por te certificares de me dizer todos os dias como sou horrível!




Se há pessoa que consegue magoar-me de verdade é a minha irmã! Falei aqui, ou seja, numa das minhas primeiras publicações do facto de sentir que ambos os meus irmãos tem inveja de mim.
Agora, a minha irmã tem a necessidade de me criticar acerca de tudo. Ou critica o meu cabelo, ou critica a minha roupa, ou critica algo que eu digo ou faço. Tudo. Critica tudo.
É óbvio que isso me deixa mal. Ser criticada pelas outras pessoas já é mau, ser criticada pela minha irmã, que é suposto apoiar-me, ainda pior...

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Ou isso, ou ainda esgano alguém!




Que as férias venham depressa! Estou farta desta gente! Dos professores, dos funcionários, dos colegas! Farta, farta, farta!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

"Eu gosto daquela feia"




Quando um teste de Literatura corre super, super, super, super (infinitos super) mal e sabes que ao chegar a casa ainda tens de estudar para o teste de GeografiaA que tens no dia seguinte, o melhor mesmo é ler os comentários do blogue, claro!
Entra uma pessoa no blogue, abre a última publicação, lê o primeiro comentário e... pimba! Fica logo bem-disposta porque:
1°- O comentário é do Sr. Espertinho e os comentários do Sr. Espertinho são sempre hilariantes.
2°- O conteúdo do comentário obriga-te a uma resposta que tem de ser comunicada ao mundo!
(Podem ler o comentário do esperto que nem um alho, aqui)

Eu e o Dilan não estamos juntos por imensas razões. Ele não está apaixonado por mim e eu não estou apaixonada por ele. Sim, eu sei que provavelmente até estou a desenvolver um sentimento mais forte por ele, mas não vamos falar sobre isso. Temos uma excelente amizade, eu gosto muito dele, ele gosta de mim, mas é só uma bonita amizade. Depois também existe aquela rapariga de quem falei aqui e aqui, que simplesmente não saí de cima dele. A última e acho que a mais importante de todas as razões é que ele é lindo (mesmo lindo, juro!) e eu sou... Não faço o género dele, porque ele gosta de raparigas giras e não de raparigas como eu.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Aqueles dias em que tu sentes que até és importante para alguém...




Sinceramente não sei se deva denominar o dia de hoje como um dia bom.
Na hora de almoço fui para a biblioteca fazer os trabalhos de casa e o Dilan, como também os tinha em atraso foi fazê-los comigo. Começamos a falar sobre o facto de ele ontem não ter aparecido para estudar por ter outros passatempos nos tempos livres. O rumo da conversa voltou-se depois para uma série de verdades e descobertas sobre a vida do Dilan. 
Conclusão: os trabalhos de casa ficaram por fazer, no entanto, foi excelente ver a enorme confiança que o Dilan depositou em mim ao contar-me aquelas coisas. Coisas más. Coisas muito más. Coisas horríveis. Mas coisas que ele partilhou comigo. Coisas que ele me confiou. Coisas que agora nos unem.