domingo, 30 de agosto de 2015

Leitura do Mês#2 - Agosto





Livro: "Os Vagabundos dos Telhados" ("Rooftoppers")

Autora: Katherine Rundell

Sinopse: "Todos dizem a Sophie que ela ficou orfã num naufrágio. Sophie, porém, está convencida de que a mãe também sobreviveu.
Quando ninguém acredita nela, Sophie decide provar que todos estão errados.
Uma vez em fuga das autoridades, Sophie encontra Matteo - um rapaz que anda sobre cordas bambas e habita as alturas. Em corrida através dos telhados de Paris, será que eles irão encontrar a mãe de Sophie, antes que seja demasiado tarde?"

Opinião da Mellia: Este livro é mágico, verdadeiramente apaixonante! Após começar a ler "Rooftoppers" foi impossível parar, o desenrolar da história prende-nos até ao final. Final esse que me desiludiu. Toda a infância de Sophie com Charles é verdadeiramente emocionante, depois tudo o que Sophie vive em Paris, os amigos que faz e as aventuras que vive são surpreendentes, e depois o final desilude-me um bocadinho, estava à espera de algo mais espetacular, tal como o resto do livro.
Mas no geral, o livro é muito bom, faz-nos sonhar e sobretudo aprende-se a lutar por aquilo em que acreditamos e a nunca ignorar a mais remota das possibilidades!

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

O motivo da minha ausência...




Caramba Mellia, onde andas tu moça? 
Já não aguentavam as saudades, não era meus amores? Aqui a menina, esteve a passar uns dias em casa dos avós e não teve acesso à internet. E depois também, não consegui avisar que ia estar ausente, porque o meu telemóvel anda marado.
Mas eu já estou em casa, com internet no telemóvel e no computador. E com uma paciência e paz de espírito renovada por não andar a aturar a minha maninha e o meu maninho...

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Ok, eu estou com um bocadinho de medo, mas não digam a ninguém!




Daqui a duas semanas, mais ou menos, vou por aparelho fixo. Em mais nova, utilizei um aparelho removível apenas para alargar o céu da boca e não houve qualquer problema, mas a cerca do aparelho fixo já ouvi histórias de quem ficou com febre, de quem não conseguia comer, de quem sangrava a toda a hora, tudo por causa do raio dos arames!
Eu não tenho muitos amigos com aparelho o que me deixa pouco confortável, visto que vou ser a única, mas eu também não me quero preocupar demais, seja lá qual for o resultado só tenho de aceitar! 

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Just living my life




Desde à uma semana para cá, que consegui convencer a minha irmã a darmos caminhadas todas as tardes. Tem-me feito muito bem, não só por que adoro exercício, mas porque tenho notado que me relaciono melhor com as pessoas, visto que todos os dias aparece alguém a perguntar o que é que nós andámos a fazer por aqueles lados.
Ultimamente tenho ido sozinha, mas não é por isso que vou desistir, caminhar ajuda-me a relaxar e é ótimo para pensar na vida...

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

De fazer arrepiar a espinha...




Ontem, fui a um restaurante almoçar. Depois da refeição, levantei-me, fui lavar as mãos e quando voltei, um homem ficou a olhar para mim, estranhei mas continuei a andar, só que ele não desviava o olhar e eu acabei por ficar a olhar para ele também, até que ele me pisca o olho. O meu coração não parou mais, fiquei completamente em pânico! Fui-me sentar e o raio do homem não parava de olhar para a mesa onde eu, o meu pai e os meus irmãos estávamos a almoçar, mas eu ignorei por completo. Por fim, nós fomos pagar e não é que o homem decidiu ir pagar ao mesmo tempo, eu estava mesmo assustada. O meu pai ficou a pagar e eu e os meus irmãos fomos indo para o carro e o homem foi atrás de nós, mas felizmente, foi para o carro dele e prosseguiu viagem.
Até casa não parei de olhar para trás, para verificar que ninguém nos estava a seguir! Que coisa mais marada!

terça-feira, 4 de agosto de 2015

"Amor só existe a dois. Amor sozinho chama-se tristeza."




Ando completamente perdida, cansada de lutar por um amor sem futuro. Eu sou muito realista, sei bem que a probabilidade de eu e o George ter-mos alguma coisa e muito remota, mas eu contínuo sempre com as mesmas esperanças. Eu tento, mas é tão difícil desprender-me de alguém de quem eu realmente gosto.